Bendito Mistério!



Do nascer ao entardecer da vida, esconde-se sempre o Mistério que controla disfarçado o tempo. Nos percalços do caminho é necessário aprender a administrar o desconhecido, sem pretender ignorá-lo ou dominá-lo. Bendita escuridão que torna a Luz tão importante! Bendito inalcançável que alcança a matéria frágil, sem oprimi-la, mas libertando-a do orgulho de tudo pensar compreender. Bendita pequenez do intelecto, bendita razão cega, bendita hora que não se tem o controle de tudo, bendita vida que não se deixa aprisionar pelos planos traçados!  Bendito homem que se confia ao Mistério, sem sentir-se diminuído por ele. Bendita história que aceita não compreender, que aceita caminhar sem ver, que aceita crer para entender. Bendito homem que não teme seu desconhecer, bendito quem viver para ver.  Como uma brisa que aos poucos modifica a paisagem, como um artista que devagar vai lapidando sua obra, como uma semente que um dia brota, assim os mistérios vão sem pressa se apresentando, sem revelarem-se totalmente, mas deixando um sabor de surpresa, de espanto e de perfeição. Bendito homem que se deixa guiar por Deus! A esse homem o mistério não assusta, mas faz parte do cotidiano de quem aprendeu a administrar o fato de não poder controlar as coisas eternas.

Comentários