José, o homem dos sonhos!


“A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.  José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo.  Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: 'José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo.  Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados'.  Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 'Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco. 'Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado, e aceitou sua esposa.” (Mt 1,18-24)

José pensava. Tinha seus planos, projetos, desejos e vontades. José sonhava. Nos seus sonhos, Deus era o protagonista, Ele quem abria as portas do seu futuro. Seus pés estavam no chão, como os pés de quem vive no dia de hoje, sem fantasias, sem medo da realidade. Já o coração....ah! O seu coração estava no céu! No desejo do Eterno, no que não passa, no intangível.
Quanta beleza existe na angustia de José! Santa angustia de José. Santa e pequena. Porque o homem de Deus não demora em um sofrimento. Aceita-o. Vive-o. E segue.  Homem, prático e racional, decide o que fazer, tomando para si a parte mais difícil, escolhendo o sacrifício, fazendo a escolha madura. Homem, de fé e justo, tem o coração sempre aberto, mesmo com o plano traçado, em nenhum momento se fecha em seu próprio querer ou decisão. Deus age. Deus fala. Ele muda. Ele se abaixa. Volta atrás. Quantos desígnios não cumpridos por falta de corações humildes como o de José!
No sonho, Deus mudou José. Decidiu dessa forma agir, respeitando-o e esperando-o.  E assim fazendo, ensinou-o a fazer. Dali por diante, José aprende a esperar por Deus quando espera com Maria por Jesus. José respeita os projetos de Deus quando recebe uma família santa para cuidar, mesmo diante de sua incapacidade. Só alguém rendido ao Mistério consegue suportar tamanha graça, sem cair no abismo do conflito com sua pequenez. Submete-se. Rende-se. Silêncio.
Na vida de José, havia Maria. Na vida de Maria, havia José. Se o coração de José estava no céu, seus olhos viram Nela a eternidade. Laço de amor de escolha e cumplicidade tecida com santidade. Como diálogo, palavras ditas no silêncio do querer fazer a vontade de Deus acima de tudo. Maria era o sonho lindo de Deus e José o sonho vivo de Maria. Juntos para Jesus. Juntos por Jesus. Juntos por um caminho de Cruz e Ressurreição.
Viver esse tempo com José é para os que são fracos, para os que têm medo, para os que têm muitos planos, para os que pensam (pensam demais!), para os que se sentem incapazes de tanta grandeza! Porém, viver esse tempo com José é também para os que têm a coragem de sonhar os sonhos de Deus, sejam eles grandes demais ou não! É permitir que Deus abra as portas do futuro, mudando os caminhos, desfazendo e refazendo as estradas, criando uma nova história. Diante do Mistério: silêncio, esperança e rendição.
São José, homem dos sonhos, intercede pelo nosso coração!





*Inspirado na Homilia do Papa Francisco em 18 de dezembro de 2018.

Comentários